Monday, October 25, 2010

Palavras presas

Às vezes há coisas que parece que sempre soubemos mas que, por uma ou outra razão, nunca expressámos em voz alta. Para mim, que gosto particularmente de palavras e do que se pode fazer com elas, os momentos em que constato isso mesmo, que acabei de descobrir uma nova expressão para algo que sempre soube mas nunca disse, são sempre especiais.

Foi por isso que há pouco, a conversar com uma amiga minha numa conversa aparentemente tão comum quanto pode ser uma conversa entre amigos a uma segunda-feira, quando o meu cérebro em particular não está disponível para seriedade ou profundidade, senti um desses momentos de revelação.

O momento surgiu a propósito de uma frase que ela tinha terminado com reticências, que eu interpretei, correctamente, como sendo o equivalente a um suspiro, dos que emitimos quando há algo que sabemos mas não queremos ou conseguimos dizer: ao referir como às vezes falam mais do que qualquer coisa que disséssemos ela pronunciou, certeira, que os suspiros "são as palavras que estão presas, e vão saindo aos poucos".

1 comment:

  1. Isso está tão abstracto que não apanhei nada!

    ReplyDelete